A FEB na Itália

 

01 a 04 de agosto de 1944:

Movimento para estacionamento em Tarquinia.

 

05 de agosto de 1944:

quando chegou à região de Tarquínia, na Itália, o 1º Escalão passou a integrar o V Exército norte-americano sob o comando do general Mark Clark. O V Exército norte-americano, juntamente com o VIII Exército britânico, integrava o X Grupo de Exércitos Aliados, sob o comando geral de sir Harold Alexander. O V Exército, nesse momento, estava constituído por dois corpos de exército, o II e o IV, pois acabava de ser desfalcado de sete divisões, desviadas para os desembarques efetuados pelos Aliados no sul da França. O II Corpo operava ao norte de Florença na tentativa de desalojar os alemães de Bolonha. O IV Corpo, chefiado pelo general Crittenberger, tinha a missão de abrir brechas na chamada Linha Gótica, em poder dos alemães. Esta linha partia da região costeira do mar Tirreno, apoiava-se na região montanhosa dos Apeninos e terminava nas áreas de Pesaro e Rimini, já na faixa litorânea do Adriático. A faixa compreendida pela Linha Gótica abrangia montanhas escarpadas que proporcionavam excelentes vistas sobre as tropas aliadas. As forças regulares alemães eram estimadas em 28 divisões (26 alemãs e duas italianas), integrantes do Grupo de Exército C, sob o comando do marechal Albert Kesselring. Nessa fase da guerra, o objetivo dos Aliados na Itália era manter o Exército alemão sob permanente pressão através de ofensivas de fixação, a fim de impedir que o comando nazi-fascista transferisse para a França algumas divisões de alto valor combativo.

 

18 a 20 de agosto de 1944:

movimento para o estacionamento em Vada.

23 de agosto de 1944:

organizados quatro “Grupos Suplementares Brasileiros em Hospitais Norte-Americanos.

 

26 de agosto a 04 de setembro de 1944:

estágio de brasileiros na 88ª D.I., em combate.

 

06 de setembro de 1944:

a 1ª Cia. De Engenharia passa a estar à disposição do IV Corpo de Exército. É a primeira tropa brasileira a entrar em ação na II Guerra Mundial.

 

11 de setembro de 1944:

organizado o “Destacamento FEB”, sob o comando do Gen. Zenóbio da Costa, composto pelas unidades: 6ºRegimento de Infantaria (6º R.I.), Segundo Grupo do 1º Regimento de Obuses Auto Rebocado (II/1º R.O.Au.R.), 1º Companhia do 9º Batalhão de Engenharia (1ª Cia. do 9º B.E.) e Companhia de Evacuação do 1º Batalhão de Saúde (1º B.S.).

 

15 de setembro de 1944:

entrada em linha do “Destacamento FEB”. Área de Massaciuccolli – Filettole – Vechiano (N. Pisa). A participação da FEB nos combates iniciou-se nesta data, com o grupo de Zenóbio da Costa substituindo uma força norte-americana que estava sendo desligada do IV Corpo. Os oficiais brasileiros foram incluídos na Força Aérea Tática do Mediterrâneo e dentro dela, no XXII Comando Aerotático, que dava apoio às tropas do V Exército norte-americano.

 

16 de setembro de 1944:

início da ofensiva do “Destacamento FEB”. As primeiras vitórias da FEB na Itália ocorreram com a ocupação de Massarosa, Monte Comunale e Il Monte.

 

17 de setembro de 1944:

conquista de Ghilardona, Il Vecoli, C.S. Lucia e Stiava.

 

18 de setembro de 1944:

conquista de Camaiore.

 

24 de setembro de 1944:

o general Eurico Dutra desembarcou em Nápoles para uma visita à FEB e ao comando do V Exército. Nessa ocasião, além da troca de condecorações entre norte-americanos e brasileiros, foi adotado o distintivo “A cobra está fumando” para os soldados brasileiros. Ainda durante a visita de Dutra à Itália, foram-lhe sugeridas modificações no comando da FEB. Zenóbio da Costa adquirira um grande prestígio pelas vitórias alcançadas, o que fez com que seus amigos procurassem induzir o general Dutra a promovê-lo ao comando da Divisão. Ao general Mascarenhas seriam atribuídas funções de comando geral, acompanhadas da promoção a tenente-general, posto até então inexistente. O objetivo era transformar Zenóbio em comandante da Infantaria Divisionária e Cordeiro de Farias em Comandante da Artilharia Divisionária, restando a Mascarenhas uma função meramente administrativa. Este plano foi apresentado a Dutra pelo general Wooten, membro de sua comitiva e comandante, em Natal, das Forças Aéreas Americanas do Atlântico Sul. Mascarenhas de Morais, ao tomar conhecimento dessas sugestões através do general Clark dias após o regresso do general Dutra, escreveu a este uma carta afirmando que o desdobramento do comando da FEB, tal como fora proposto, acarretaria uma limitação da autoridade do comandante, sendo difícil crer que algum general-de-divisão aceitasse tal situação. O certo é que a ideia não teve ressonância nem junto ao general Clark, nem junto ao general Dutra.

 

25 de setembro de 1944:

Conquista de M. Valimono e M. Acuto.

 

26 de setembro de 1944:

conquista de Monte Prano.

27 de setembro de 1944:

após a conquista do maciço Prano, as tropas brasileiras, já acrescidas do 2º e do 3º escalões, foram transferidas para o vale do rio Sercchio, para se aproximarem de Castelnuovo di Garfagnana, um dos fortes redutos da Linha Gótica e importante entroncamento rodoviário, de grande interesse estratégico por ser uma das portas de acesso à planície do rio Pó.

 

29 de setembro de 1944:

o “Destacamento FEB” atinge Stazzema-Fornoli, capturando Pescaglia e Borgo a Mozzano.

 

05 de outubro de 1944:

captura de Chivizzano e Bolognana.

 

06 de outubro de 1944:

conquista de Coreglia Antelminelli e Fornacci.

 

07 de outubro de 1944:

ocupação de Gallicano, Fabricche e Cardoso.

 

11 de outubro de 1944:

conquista de Barga.

 

29 de outubro de 1944:

o general Mascarenhas de Morais designa o general Olímpio Falconière da Cunha inspetor-geral do 1º Escalão. Suas funções consistiam em resolver os problemas da retaguarda, principalmente os que se ligavam diretamente ao suprimento qualitativo do pessoal brasileiro, e as questões de relacionamento entre as autoridades brasileiras no Brasil e norte-americanas na Itália, tais como hospitalização, correios, fundos, transporte de pessoal por via aérea etc. Mais tarde, em 25 de março de 1945, as funções do general Falconière seriam incluídas dentro de um novo departamento denominado Órgãos Não-Divisionários.

 

24 de outubro de 1944:

ocupação de Sommocolonia. A primeira fase do ataque foi bem-sucedida, com a tomada de Sommocolonia, Lama di Sotto e Monte San Quirico, chegando as tropas brasileiras a apenas 4 km de Castelnuovo di Garfagnana.

 

25 de outubro de 1944:

ocupação de Trassilico e Verni.

 

28 de outubro de 1944:

captura de Monte Faeto.

 

30 de outubro de 1944:

conquista de Lama di Soto, Lama di Sopra, Pradoscello, Pian de los Rios, Collo e San Quirico. Na reunião do Alto Comando Aliado realizada nesta mesma data em Passo della Futa, foi decidido que a 1ª Divisão brasileira deveria operar no vale do rio Reno, 120km a nordeste do vale do Sercchio. Nessa reunião o general Clark expôs as diretivas que recebera do marechal sir Alexander, comandante do XV Grupo de Exércitos Aliados, no sentido de prosseguir atacando a fim de apossar-se de Bolonha, mantendo o inimigo sob pressão e obrigando-o a retirar efetivos das frentes francesa e russa para a frente italiana. A 1ª DIE deveria ser retirada da área em que vinha atuando, e deslocada para o vale do Reno e substituir um destacamento da 1ª Divisão Blindada norte-americana, conhecido sob a designação de CCB (Combat Command B), na defesa da Linha Bombiana Brainetta Volpara-Torre di Nerone-Fornaci-Querceto. No vale do Reno, a divisão brasileira ficaria enquadrada, a leste (direita), pela 6ª Divisão Blindada sul-africana, e a oeste (esquerda), pela Task Force 45, grupamento tático norte-americano, constituindo o IV Corpo de Exército sob o comando do major-general Willis D. Crittenberger. Após a reunião de Passo della Futa e diante das novas diretivas emanadas do XV Grupo de Exércitos Aliados, o general Zenóbio e o general Cordeiro de Farias iniciaram o adestramento das tropas recém-chegadas à Itália.

 

31 de outubro de 1944:

como afirma o general Mascarenhas de Morais, a tropa brasileira, subestimando o poder de reação do inimigo, descuidou do remuniciamento e das medidas de segurança, não tendo condições para resistir ao contra-ataque desferido pelas tropas alemãs durante na noite deste dia. Este foi o primeiro revés das tropas brasileiras, que tiveram de recuar para posições anteriores. Teve início do deslocamento para o vale do Reno.

Georgia é uma fonte em negrito elegante e bem legível, mesmo em telas menores. É a fonte ideal para mobile.